Governo acaba com bolsa para estudar cinema em Cuba que existia há 30 anos

O governo brasileiro encerrou, no começo desse ano, o financiamento para aqueles que desejassem estudar na Escola de Cinema e TV de Cuba (EICTV). Por meio da Secretaria do Audiovisual, o Ministério da Cultura (MinC) financiava, com o dinheiro dos pagadores de impostos brasileiros, bolsas de € 11.250,00 (R$ 38.000,00) para estudantes de cinema que quisessem “ir pra Cuba” estudar. O financiamento do governo brasileiro existia desde 1987.

O curso cubano não tem peso universitário – não é uma graduação ou pós-graduação – e tem duração de três anos. Os selecionados também recebiam pagamento da hospedagem, alimentação, transporte entre Havana e San Antonio de los Baños (município a sudoeste de Havana onde fica a escola), assistência médica e material para produção de cinema e vídeo.

Manuela Dias, responsável pelos roteiros das minisséries Justiça Ligações Perigosas, transmitidas pela Rede Globo, foi uma das estudantes da EICTV.

18 COMENTÁRIOS

  1. Existem vários níveis de compra de votos. A esmola, para o miserável, a bolsa universitária para a classe média, e a propina para o megaempresário. Assim o PT governou o país. Como brasileiro gosta de vadiagem, a esmola foi para a cerveja, a bolsa foi para a esbórnia, e a propina está guardada na suíça, afinal, o rico é o único que saber guardar, rs.

    • Opa, Antonio Banderas não, Andy Garcia*

      O papel do governo é fornecer o básico, educação está nas cláusulas pétreas, desde quando cumprir o básico do que deve ser feito é esmola? Vocês estão reclamando de estudo, sabem quão ridículo isso soa? Vão reclamar de concessões pra empresas privadas e perdoamento de dívida, isso sim quebra o país, estudar nunca é demais (principalmente com esse valor baixo, não dá bilhão).

      • Educação é serviço, não direito. E não defendemos concessões para empresas privadas, defendemos venda ou fechamento mesmo. De todas as estatais, sem exceções.

        • Educação é serviço pela lógica liberal, mas é de fato um direito. É o que prevê o artigo 205 da Constituição Federal. Não há como negar isto…

          • Sim, disse na lógica liberal mesmo, não na nossa Constituição de Papai Noel.

      • O direito constitucional a educação não importa em bolsa de estudos no exterior. Não existe nada na Constituição que indique que este seja ao ensino no exterior – ainda mais quando não é uma graduação ou pós-graduação. Nem dá para fundamentar no artigo 208, V da CF. Ou seja: fazer curso de cinema no exterior não é direito ou garantia fundamental, logo, não se trata de cláusula pétrea, e nem é dever do Estado.

        Ridículo é, na verdade, afirmar coisas que não tem conhecimento, como acabou de fazer!

        • Defender que deixe de existir estatais e ao mesmo tempo elogiar a economia européia é uma contradição comum entre liberalistas.

  2. Não é turismo, é bolsa de estudos, já ouviu falar de intercâmbio? O ensino é gratuito la, o governo brasileiro basicamente paga só a documentação e viajem, o resto conseguem de graça.
    Só pra lembrar, somente Cuba atingiu as metas da Unesco na América Latina.

    • Bolsa de estudos paga com o dinheiro dos brasileiros e que, ainda bem, deixou de existir.
      E se você acredita nos dados da ditadura cubana, deve acreditar em Coelhinho da Páscoa também.

      • Ótimo. Se quer se qualificar em cinema logo em Cuba, o paraíso socialista prisional, que o banque do seu próprio bolso.
        A mentalidade revolucionária é mesmo invertida: o bem é o mal, e o mal, o bem.

        • Não são dados de Cuba, são dados da Unesco e de 117 países incluindo Cuba.
          Antonio Banderas é cubano, só pra te lembrar.

          • A Unesco usa dados cedidos pelo governo ditatorial de Cuba. Não são pesquisadores especializados usando indicadores globais de educação que fazem tal levantamento. Tanto é que não existem dados de Cuba no ranking Pisa (e nem outros exames com credibilidade mundial).

            Daí é aquilo: a URSS negava que havia problemas de abastecimento de comida e fome da população em 1932 e 1933. Era parte da propaganda do socialismo soviético. Anos depois, se descobriu mais de 6 milhões de mortos pela fome naquele período.

            Vai mesmo acreditar em dados de um governo ditador – para piorar, socialista?

            Ah, Antônio Banderas é espanhol… rsrsrsrs

            Não são dados de Cuba (…)

  3. Estudar arte é proibido até sair um novo filme da Marvel…. Vale lembrar que 117 países enviam alunos pra Cuba pra poderem estudar educação física, artes, humanas e medicina.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here