DOE

Macri cede aos sindicatos e aprova aumento do desemprego na Argentina

O governo Macri e os sindicatos acertaram ontem (19) o aumento no desemprego na Argentina por meio do aumento de 33% do salário mínimo, que chegará a 8060 pesos (R$ 2.040,00) em janeiro de 2017. O seguro desemprego, que gera a tomada de dinheiro dos que trabalham para financiar os que não trabalham e financia a permanência por mais tempo no desemprego, também será reajustado de 400 pesos (R$ 100,00) para 3000 pesos (R$ 760,00).

Dessa forma, o salário mínimo cumprirá ainda mais sua função original na Argentina: o de ser uma medida preconceituosa que desemprega sobretudo os jovens que não tenham experiência e qualificação suficientes para gerar um valor superior ao salário mínimo estipulado artificialmente pelo estado.

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!