DOE

Mesmo com prejuízo de R$ 93 mi, funcionários do metrô estatal recebem reajustes de 10%

Em assembleia realizada na noite de 31/5 (terça-feira) os metroviários decidiram acabar com a greve e votaram por aceitar a proposta do Metrô de reajuste de 10,03% de reajuste, sendo a primeira parcela de 7,5% retroativa a 1º/5 e 2,53% em 1º/11.

Assim como acontece com as universidades estatais, o metrô estatal paulista gasta a maior parte do orçamento para pagar funcionários, ao invés de realizar investimentos para melhorar a infraestrutura precária na rede metroviária. 78% dos custos operacionais do Metrô é para pagar funcionários.

Ano passado, os metroviários já receberam aumento de 22,36% nos benefícios sociais, o que contribuiu para o prejuízo de 93,3 milhões de reais. Já este ano, novamente os metroviários pedem aumento e vão receber reajustes de 10,03%. Esse aumento pode ainda mais amargar o prejuízo no metrô e diminuir investimentos para melhorias em infraestrutura.

 

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!