Salário de Marta é superior ao de 99,6% dos jogadores de futebol masculino atuando no Brasil

Na semana passada, uma comparação esdrúxula causou amplas discussões na Internet: a comparação entre os salários de Marta e Neymar – com base no número de gols feitos na seleção, como se o salário de um atleta dependesse somente da seleção – com o claro intuito de inferir “machismo” nos esportes. A comparação foi devidamente destruída pela página Caneta Desesquerdizadora, que colocou a realidade dos dados na mesma imagem:

https://www.facebook.com/CanetaDesesquerdizadora/photos/a.260350511015560.1073741828.260346504349294/271220249928586/?type=3&size=960%2C925&fbid=271220249928586

Marta, que foi eleita cinco vezes a melhor jogadora de futebol do mundo, recebe $400.000,00 por ano (R$ 1.300.000,00) de seus patrocinadores – Coca-Cola e Puma – que utilizam sua imagem para aumentar as vendas junto às mulheres. O clube em que Marta atua, o FC Rosengård da Suécia, não paga qualquer salário à atleta, dado que o futebol feminino atrai cerca de 1.000 pagantes por jogo naquele país. Mesmo assim, o salário de Marta é o segundo maior do mundo no futebol feminino, atrás apenas da atacante americana Alex Morgan ($450.000,00 por ano), que atua na principal liga de futebol feminino do mundo, a dos EUA.

Pode parecer “pouco” perto de alguns salários do futebol masculino, com o de Neymar, mas na verdade Marta ganha um salário superior ao de 99,6% dos jogadores de futebol masculino que atuam no Brasil. De acordo com levantamento feito pela CBF no ano passado, 99,6% dos jogadores atuando por aqui ganham menos de R$ 100.000,00 por mês (R$ 1.300.000,00 por ano, contando o 13° salário), sendo que a ampla maioria (82,4%) ganham até R$ 1.000,00 por mês.

Salário dos jogadores de futebol masculino atuando no Brasil
Salário dos jogadores de futebol masculino atuando no Brasil

Obviamente, futebol é um jogo com 11 atletas e não apenas Marta. E o salário das demais integrantes da seleção brasileira feminina continua superior à ampla maioria dos jogadores de futebol. As 23 atletas escolhidas para a seleção permanente – como muitas não têm clubes por falta de demanda, foi necessário montar uma seleção permanente até o final das Olimpíadas – recebem no mínimo R$ 9.000,00 por mês, o que as coloca entre o 4% de jogadores mais bem pagos do futebol nacional.

Ou seja: mesmo tendo uma demanda inferior pelo futebol feminino, os salários das jogadoras da seleção brasileira segue acima dos salários das ampla maioria dos jogadores de futebol masculino atuantes no Brasil.

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!