DOE

Sem conseguir diminuir o tráfico, presidente filipino admite fracasso de guerra às drogas

O presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte, reconheceu que sua polêmica política de luta contra as drogas enfrenta desafios, segundo a rede americana CNN. Quando assumiu a presidência em julho de 2016, apesar de não funcionar em nenhum lugar do mundo, ele prometeu fazer uma política dura contra o tráfico e se não resolvesse o problema em seis meses, ele renunciaria.

Mais tarde, ele reconheceu que esse prazo era um “erro de cálculo” porque ele não percebeu o quão grave era o problema, alegando que as drogas podem ser financiadas por grupos terroristas e, durante uma celebração, ainda disse que nem mesmo os EUA, que possui o maior orçamento estatal contra o tráfico, consegue resolver esse problema.

Em partes o presidente filipino diz a verdade. O problema das drogas não é simples e não foi solucionado em nenhuma lugar do mundo, nem mesmo nos EUA, com exceção do Colorado, estado americano que liberou venda de Maconha há poucos anos e conseguiu diminuir parte do tráfico de drogas com o México. Mas ele ainda peca em insistir em políticas ineficientes.

O resultado da intensa guerra às drogas aplicada na Filipinas já matou mais de 7 mil pessoas e, segundo moradoras das periferias, muitas nem eram traficantes e morreram por serem viciadas em drogas. Em consequência disso, muitas crianças perderam seus pais e dormem nas ruas.

Pessoas dormem ao redor de uma fonte em Manila, nas Filipinas. O número de pessoas dormindo nas ruas aumentou desde o início da guerra do país contra as drogas (Foto: Damir Sagolj/Reuters)

Além dessa tragédia na periferia da cidade, o filho do presidente tem sido acusado de envolvimento com tráfico. Senadores investigam uma carga de metanfetamina, no valor de US$ 125 milhões, que chegou em Manila. Segundo investigadores, o filho do presidente, Paolo Duterte, teria facilitado a entrada da carga no país.

Diante todos esses fatos, só é possível tirar uma conclusão: não há como acabar com tráfico enquanto houver demanda. As leis da economia não podem ser revogadas nem mesmo com uma dura guerra contra o comércio. Os preços dos produtos tendem a subir a medida que ficam escassos devido ao controle estatal. Os altos preços enriquecem traficantes e atraem mais pessoas ao tráfico, nem mesmo o filho do presidente tem escapado dessa oportunidade criada pelo seu pai.

 

 

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!