DOE

Terrorista de esquerda acusa a PM de explodir sua mão com bomba de efeito moral

O terrorista  de esquerda, que tentou lançar um “rojão” caseiro contra os policias durante uma manifestação em Brasília, culpou os policiais pela explosão que dilacerou sua mão. Segundo a versão do criminoso, os policiais haviam jogado uma bomba de efeito moral no meio da manifestação e ele teria pegado com a mão para retirar do local, momento em que aconteceu a explosão.


No entanto, a versão do criminoso é comprovadamente inválida, pois bombas de efeito moral explodem em menos de 1,5 segundos após seu lançamento, tempo insuficiente para pegá-las com a mão. Além disso, segundo informações da própria fabricante, Condor Indústria Química, bombas de efeito moral causam apenas  susto e normalmente não ferem.  O corpo da bomba é produzido com um plástico especial, que se desintegra evitando a formação de estilhaços.


A perícia também encontrou  a mais de 10 metros do local do acidente estilhaços de aerosol, que provavelmente são do artefato explosivo que dilacerou a mão do terrorista. Trata-se de um “artefato explosivo improvisado, à base de embalagem de desodorante aerosol”.


 

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!