DOE

Viva Rio apaga texto que mostra como ONG ajudou a desarmar a Venezuela

Após ter ficado claro que o regime socialista venezuelano se transformou em uma ditadura (como em todo local onde o socialismo foi instalado) que persegue cidadãos desarmados, a ONG brasileira Viva Rio deletou de seu site oficial o texto que detalha como a organização desarmamentista brasileira participou do desarmamento da população civil venezuelana durante o governo de Hugo Chávez.

Texto em que o Viva Rio falava sobre a sua participação no desarmamento civil na Venezuela foi deletado do site oficial da ONG
Texto em que o Viva Rio falava sobre a sua participação no desarmamento civil na Venezuela foi deletado do site oficial da ONG

 

O texto, entretanto, foi recuperado pelo ILISP por meio do Internet Archive e o publicamos na íntegra abaixo, juntamente com o vídeo do “Encontro Internacional sobre Desarmamento na Venezuela”, o qual se encontra disponível no canal do Youtube da ONG desarmamentista e conta com a declaração do coordenador do Viva Rio. Confira:

Viva Rio participa de desarmamento na Venezuela

Antonio Rangel Bandeira, coordenador do Projeto de Controle de Armas do Viva Rio, falou durante abertura do encontro

30/01/2012

 

O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, convidou um grupo de especialistas de todo o mundo para participar do Encontro Internacional sobre Desarmamento, em Caracas. O objetivo do encontro foi compartilhar as experiências de vários países em campanhas de desarmamento e na criação de leis de controle de armas.

Entre os especialistas convidados estava o coordenador do Projeto de Controle de Armas do Viva Rio, Antonio Rangel Bandeira, que levou a experiência brasileira na construção de uma legislação mais rígida, o Estatuto do Desarmamento, e sobre as três campanhas nacionais de entrega voluntária de armas, que já retiraram mais de 500 mil armas de circulação e levaram à queda em 11% do número de mortes por armas de fogo no país.

“A Venezuela e o Brasil têm problemas em comum. Um deles é a insegurança. E o Brasil vem tendo sucesso na implementação de uma política de desarmamento voluntário. Fizemos pesquisas sérias e envolvemos os meios de comunicação para conscientizar a população de que ter uma arma em casa é muito mais um risco do que proteção”, afirmou Rangel em discurso durante a abertura do encontro a convite de Hugo Chávez.

O governo da Venezuela vai implementar uma nova lei de controle de armas no país e formou uma comissão para avaliar o tema: a Comissão Presidencial de Controle de Armas, Munição e Desarmamento. A comissão esteve no Brasil em dezembro do ano passado, onde se reuniu com a equipe do Projeto de Controle de Armas do Viva Rio.

Estiveram presentes também no encontro em Caracas Rebecca Peters, ex-diretora e integrante do Conselho Diretor da Iansa, e William Godnick, coordenador do Programa de Segurança Pública do Centro Regional das Nações Unidas para a Paz, Desarmamento e Desenvolvimento da América Latina e Caribe (UN-Lirec).

Assista ao vídeo com o depoimento de Antonio Ragel Bandeira:

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!