DOE

A foto de Ano Novo e os velhos preconceitos

Circula na internet a imagem do fotógrafo Lucas Landau retratando um menino assistindo à queima de fogos da virada do ano em Copacabana. O menino é de tez negra e está só, com uma bermuda escura, parado com água do mar até o joelho, enquanto atrás de si um grande número de pessoas de branco, boa parte de tez clara, comemora. Olha fixamente para cima, deslumbrado.

Esta fotografia passou a circular com textos maiores ou menores tecendo críticas ao racismo brasileiro, à sociedade excludente e outros sermões recheados dos clichês do politicamente correto.

Ninguém sabia nada do menino, e o próprio fotógrafo disse isso, só conhecia a idade.

Informalmente, ouvi dizer que tem família, sim, e não é de rua.

A primeira vez que vi a imagem me pareceu um menino deslumbrado com a queima de fogos, encolhido por estar molhado e com frio. Nem me ocorreu todo o drama criado pela fértil imaginação dos justiceiros sociais.

Essa foto faz emergir o verdadeiro preconceito de quem foi condicionado a ver numa criança negra a figura de um menor abandonado. Já despido de qualquer imparcialidade, esse guerreiro das mídias imprime à imagem um histórico que nunca houve, ignorando a individualidade daquele que é retratado.

E, quando confrontado com a verdade, nega-a, dizendo: “não é, mas poderia ser”.

Pouco importa que o menino tenha família e casa, que estivesse ali apenas se divertindo, em uma travessura própria de infantes. Como disse uma amiga carioca, criança vai à praia curtir a onda, não fazer brinde, nem se preocupa com roupa. Isso é coisa de adulto e, o mais das vezes, turistas. No Rio cada um se veste como quer para ir à praia.

O perigo do justiceiro social é esse, ignorar as individualidades e transformar pessoas únicas em alimento ideológico para a massa.

O racismo existe, sim, e é ainda mais recrudescido ao se criar a oposição, ao se fomentar o ódio e o justiçamento politicamente correto como se fosse amor e igualdade.

Essas visões cheias de preconceito deixam claro o perigo dessa gente de boas intenções que acredita saber o que é melhor para você e para mim, mesmo contra nossos interesses e vontades. São acusação, julgador e carrasco, com sentenças previamente lavradas esperando a oportunidade de encaixar alguém nelas e descer a guilhotina.

Nenhuma individualidade será perdoada fora do coletivo.

Esse apartar-se da realidade torna cada dia mais remota a chance de se fazer algo de concreto com relação aos problemas brasileiros. O mundo nunca irá se adequar às ideologias, que o digam os milhões de mortos para justificar as ideias de uns poucos que, por óbvio, morreram na cama, e não de fome ou num campo de concentração.

Enquanto não houver compromisso de enxergar a verdade e tratar os fatos como fatos, sem fantasiá-los para se encaixarem na lisérgica cartilha que se insiste em seguir, pessoas como o menino da foto continuarão a servir de alimento no altar de Moloch.

Conhecer os fatos deve preceder qualquer tipo de julgamento, e, quanto menos passional a visão, mais imparcial será a medida. É preciso paciência e fé para esperar coerência e compromisso com a verdade.

Por um Brasil onde meninos possam ser meninos, onde cada um possa ser quem nasceu para ser, e vestir-se como quiser, e olhar o céu como quiser, sem ser julgado por sua cor, por sua roupa ou por seu deslumbramento diante da vida.

Foto de Ano Novo do fotógrafo Lucas Landau

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!