O deputado é Tiririca e os abestados somos nozes

Em seu primeiro e único discurso na Câmara dos Deputados em quase sete anos de mandato, Francisco Everardo Oliveira Silva – o Tiririca – anunciou que deixará a vida parlamentar. Renúncia? Claro que não! Com mais um ano pra mamar às nossas custas, por quê renegar tal mordomia, não é mesmo?

Fora os clichês, sobra muito pouco na fala do deputado. “Vamos olhar um pouco para o nosso país”, “vamos olhar pro nosso povo”, “mais saúde”, “já passei fome”, “fui vítima de preconceito”, “pro povo isto aqui é uma vergonha” e afins são chavões comuns no discurso de qualquer político, até mesmo nos discursos daquele que tem quase 10 milhões de reais bloqueados por suspeita de corrupção enquanto “combate a zelite”.

 

A realidade, entretanto, é bem diferente. O próprio Tiririca afirma que “não fez muita coisa”, mas “foi assíduo” e “votou de acordo com o povo”. Ganha 25 mil reais líquidos por mês (fora os shows privados que continua fazendo), mas sua mãe “não tem plano de saúde” e “está no hospital público”. Diz que “sai com vergonha” do parlamento, mas “jamais irá falar mal de vocês (políticos) em qualquer canto”. Não se envergonhou com R$ 1,286 milhão de reais que gastou até agora, somente em cotas parlamentares (R$ 881,2 mil no primeiro mandato e R$ 404,8 mil até o momento no segundo), tirados do mesmo “povo” que diz defender.

Com suas palhaçadas, levou à Câmara em 2010 o líder de seu partido (PR – Partido da República), Valdemar Costa Neto – aquele que renunciou para não ser cassado no julgamento do Mensalão – além de membros do PT (Vanderlei Siraque), PCdoB (Delegado Protógenes) e PRB (Otoniel Lima). Na segunda, levou o Capitão Augusto – o deputado que anda sempre fardado e quer criar mais uma boquinha partidária, o “Partido Militar Brasileiro” – e Miguel Lombardi. As risadas que proporcionou a estes e outros políticos também não mereceram desculpas.

Sua eleição também foi responsável por destinar uma gorda fatia do fundo partidário ao PR. De acordo com a base nos dados do TSE,  o partido do mensaleiro Valdemar recebeu cerca de 160 milhões de reais nos últimos seis anos (dados de 2017 não estão disponíveis), boa parte graças aos votos dados a Tiririca em 2010 e 2014. Querendo ou não, Tiririca engordou os bolsos de políticos que “não olham para o povo”.

Tiririca não tem Jose Genoíno como suplente – seu partido não participou de coligações em 2014 e sua suplente imediata é Luciana Costa, do mesmo PR – mas declarou algo muito pior. Em entrevista ao Antagonista, afirmou que votará no líder da quadrilha petista, Lula, por ter sido “um dos melhores presidentes que eu vi”. Onde fica o discurso de “vamos olhar para o povo” quando se declara voto em um criminoso que ajudou a roubar a população brasileira? Pois é.

 

Tiririca é um parlamentar que gastou quase R$ 1,3 milhão dos pagadores de impostos, ajudou um partido controlado por um mensaleiro a receber 160 milhões de reais do fundo partidário e declara voto no maior criminoso do país – pior, pode fazer campanha para ele em 2018, levando mais votos para Lula. Ou seja: o palhaço pode ser ele, mas os abestados “somos nozes”.

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!