DOE

Ministra com salário de R$ 33,7 mil desiste de pedir aumento por “trabalho escravo”

Após a ampla divulgação da petição feita pela Ministra de Direitos Humanos, a tucana Luislinda Valois, para acumular o salário de ministra com o de desembargadora aposentada (elevando sua renda bruta para R$ 61,4 mil por mês) por considerar R$ 33,7 mil mensais “trabalho escravo”, a assessoria da ministra informou que ela desistiu do pedido.

“Considerando o documento sobre a situação remuneratória da ministra Luislinda Valois, o Ministério informa que já foi formulado um requerimento de desistência e arquivamento da solicitação”, informou nota divulgada pela assessoria do Ministério dos Direitos Humanos.

A desistência ocorreu após a ministra tentar justificar o pedido dizendo que seu cargo exige “se vestir com dignidade” e “usar maquiagem”, e a própria ministra afirmar que não sabia “como vai comer e beber” com o salário de R$ 33,7 mil mensais, já que “trabalha de segunda à segunda”, “tem que pagar o condomínio da casa em Salvador” e “merece uma vida mais digna”. Confira:

Está gostando do conteúdo? COMPARTILHE!

Mais Recentes

Liberdade para Trabalhar avança em Anápolis-GO com 297 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Ranking mundial da Forbes reconhece o ILISP como um dos think tanks com maior alcance nas redes sociais
Dois artigos publicados na Revista Forbes...
Liberdade para Trabalhar avança em Nova Friburgo-RJ com 289 atividades liberadas de alvará
Lançado no dia 29 de junho...
Projeto Liberdade para Trabalhar é lançado em Sergipe
Lançado nacionalmente no dia 29 de...
Liberdade para Trabalhar: Boa Vista-RR dispensa 297 atividades da necessidade de alvará
Lançado no dia 29 de junho,...
Em evento no Senado, ILISP lança o Mapa da Liberdade para Trabalhar
Um pequeno empreendedor que tirou a...

Leia Sempre Primeiro

Cadastre-se na nossa Newsletter e receba sempre em Primeira Mão!